sábado, 20 de dezembro de 2008

Nº20: Miguel Alberto Fernandes Marques


  • Miguel Alberto Fernandes Marques.
  • Defesa Central.
  • Nasceu a 7 de Junho de 1963 em Guimarães.
  • Títulos no Sporting: Nada a assinalar.
  • 5 Internacionalizações.

O Miguel foi um defesa central que passou pelo Sporting sem deslumbrar, apesar de não ser mau jogador. Contudo, como não atingiu a projecção esperada, embora os tempos fossem negros, terá que ser considerado um flop. Não um grande flop, mas no limiar entre as duas avaliações deste blog. Conhecido por ser um central com bom poder de elevação e com elevada entrega ao jogo e espírito de sacrifício acabou por regressar um pouco aos bons velhos tempos depois de sair do Sporting. Um dia, Miguel ou Miguel Marques como também era conhecido partiu os dentes na cabeça de Fernando Gomes.

Nascido em Guimarães, começou a sua carreira de profissional sénior no clube da cidade. Foi lançado na equipa sénior no final da época 1984/85 pelo treinador belga Raymond Goethels e, na época seguinte afirmou-se de imediato ao lado de Nené na defesa vimaranense. Nessa época, o Vitória conseguiu um excelente 4º lugar no Campeonato Nacional e Miguel Marques disputou 28 jogos marcando 1 golo. Na época seguinte, o Vitória Guimarães maravilhou tudo e todos com um excelente futebol e alcançou um brilhante 3º lugar no Campeonato sob o comando de Marinho Peres, com Miguel a ser figura preponderante no eixo da defesa disputando 28 jogos. Por essa altura estreou-se na selecção portuguesa num jogo frente à Suécia, sob o comando de Juca, realizando excelente exibição. Contabilizou mais 4 jogos pela selecção nacional e 8 pela selecção olímpica.
Em 1987/88, com António Oliveira ao leme, as coisas não correram muito bem, com o Vitória a acabar o Campeonato na 14ª posição. A nível individual, Miguel realizou 38 jogos, despertando a atenção do Sporting que avançou para a sua contratação.

Essa época foi marcada pela presidência de Jorge Gonçalves, o popular Bigodes, que fez uma revolução no plantel contratando um lote de jogadores de renome, sendo que Miguel estava incluído neste lote. Para a sua contratação, o Sporting além de ter dado um montante em dinheiro ainda dispensou a título definitivo para Guimarães os jogadores Germano, Silvinho e Vítor Santos. Deste modo, chegava a Alvalade o defesa Miguel para integrar o plantel treinado pelo treinador uruguaio Pedro Rocha. Começou por ser titular, ao lado de António Morato, o que não deixava de ser estranho dada a baixa estatura de ambos. Apesar de possuírem um excelente poder de elevação mediam 1,78m e 1,76m respectivamente. A estreia em jogos oficiais ocorreu na 1ª jornada do Campeonato Nacional, a 21 de Agosto de 1988, no Estádio do Mar em Matosinhos, na vitória do Sporting por 2-0 sobre o Leixões, com golos de Silas aos 20m e Carlos Xavier aos 90m. A equipa que alinhou foi a seguinte: Rodolfo Rodríguez; João Luís Barbosa, Miguel, Morato e Fernando Mendes; Silas, Oceano, Carlos Xavier e Carlos Manuel; José Lima (Mário Jorge, 58m) e Paulinho Cascavel. No total, Miguel efectuou 20 jogos entre Campeonato e Taça, marcando 1 golo. Foi a 8 de Março de 1989, em jogo a contar para os quartos de final da Taça, com o Sporting a vencer o Vizela por 4-1, já com Manuel José a treinador. A equipa que jogou nesse dia foi a seguinte: Rodolfo Rodríguez; Ferrinho, Miguel e Morato; Forbs, Oceano, Silas (Marinho 85m), Carlos Manuel e Mário Jorge (Rui Maside, 75m); Eskilsson e Jorge Plácido. Os golos foram marcados por Mário Jorge aos 40m, Silas aos 54m, Miguel aos 69m e Jorge Plácido aos 82m.

Equipa do Sporting em 1989/90.
Em cima, da esquerda para a direita: Pedro Venâncio, João Luís Barbosa, Valtinho, Miguel, Douglas e Ivkovic.
Em baixo, pela mesma ordem: Marlon Brandão, Fernando Gomes, Paulinho Cascavel, Carlos Xavier e Carlos Manuel.


Na época seguinte, Manuel José continuou a treinador. Miguel começou novamente a titular, mas perdeu a titularidade no decorrer da época. Logo no primeiro jogo da época, o Sporting recebeu e venceu o Vitória de Guimarães por 3-2. A equipa foi a seguinte: Ivkovic; João Luís Barbosa, Miguel, Pedro Venâncio e Valtinho; Marlon Brandão, Carlos Xavier, Carlos Manuel (José Lima, 78m) e Douglas; Paulinho Cascavel e Fernando Gomes (Ali Hassan, 89m). Os golos do Sporting foram marcados por Paulinho Cascavel aos 43m, Valtinho aos 68m e Douglas aos 88m. No total, Miguel disputou um total de 10 jogos.
A época de 1990/91, foi um pouco melhor em termos de jogos disputados, mas a frequência de utilização foi mais irregular. De facto, Miguel, apesar de reencontrar Marinho Peres como treinador só se estreou a titular na 14ª jornada do Campeonato na derrota por 2-0 no Estádio das Antas. A equipa que jogou nesse jogo foi a seguinte: Ivkovic; Carlos Xavier, Miguel, Pedro Venâncio e Leal; Careca (João Luís Esteves, 80m), Oceano, Filipe e Douglas; Fernando Gomes e Jorge Cadete. No total, Miguel disputou 20 jogos entre Campeonato, Taça de Portugal e Taça UEFA.
Na época seguinte, foi dispensado por Marinho Peres rumo ao Gil Vicente para se tornar num homem da casa. Ficou 6 épocas em Barcelos sempre a bom nível. Em 1991/92, disputou 32 jogos no Campeonato e ajudou a equipa gilista a ficar no 13º lugar da classificação. Na época seguinte, com Vítor Oliveira a treinador jogou em 32 jogos, marcando 2 golos, sendo determinante para o 9º lugar final da sua equipa.
Em 1993/94, a equipa ficou em 10º com Miguel a jogar em 24 jogos marcando 2 golos. A época de 1994/95 foi mais complicada para os comandados de Vítor Oliveira, que mesmo assim ficaram em 13º lugar da classificação evitando a despromoção, com Miguel a ser pedra basilar da equipa com 3 golos marcados em 21 jogos disputados. Na época seguinte iria jogar em 26 jogos, no 11º lugar da equipa. A sua última época em Barcelos foi a de 1996/97, na qual disputou 28 jogos marcando 2 golos. A nível colectivo a época foi terrível com a descida à 2ª Divisão de Honra, já que o Gil ficou no 18º e último lugar da classificação. Miguel desceu mais do que a equipa, pois foi jogar no Trofense que se encontrava na 2ª Divisão B.


Ficou no Trofense durante 8 anos, com destaque para as suas duas últimas épocas, nas quais começou a tomar forma o projecto que levaria a equipa da Trofa da 2ª B à 1ª Divisão em poucos anos. Nessas duas épocas, Miguel disputou 36 jogos apesar dos seus 40 anos, marcando 1 golo em 2003/04 e 4 golos em 2004/05. Com 43 anos retirou-se do futebol, após uma derradeira época no Torcatense, na Série A da 2ª Divisão B, fazendo 18 jogos, não conseguindo evitar o último lugar da classificação para a sua equipa.

Carreira

1984/85: V. Guimarães

1985/86: V. Guimarães

1986/87: V. Guimarães

1987/88: V. Guimarães

1988/89: Sporting

1989/90: Sporting

1990/91: Sporting

1991/92: Gil Vicente

1992/93: Gil Vicente

1993/94: Gil Vicente

1994/95: Gil Vicente

1995/96: Gil Vicente

1996/97: Gil Vicente

1997/98: Trofense

1998/99: Trofense

1999/00: Trofense

2000/01: Trofense

2001/02: Trofense

2002/03: Trofense

2003/04: Trofense

2004/05: Trofense

2005/06: Torcatense

Carreira no Sporting*

1988/89: 16 - / 4 1 / - -

1989/90: 10 - / - - / - -

1990/91: 16 - / 2 - / 2 -

*Época: Campeonato (J; G)/ Taça (J;G)/ Europa (J;G)

(Agradecimento a Alberto de Castro Abreu pelas fotos e dados)

Avaliação: Flop

3 comentários:

House disse...

Lembro-me dele, não era dos piores, era dos outros logo a seguir...

sloct disse...

Sim, foi um flop, mas também nessas alturas quem é que não era.

Bruno V. disse...

Jogou até há pouco tempo. Não foi dos piores. Houve bem pior, nomeadamente estrangeiros da década de 90 e já de 2000.