domingo, 20 de setembro de 2009

4º Treinador: Mirko Jozic


  • Mirko Jozic.
  • Nasceu a 8 de Abril de 1940 e Trilj (Croácia).
  • No Sporting durante: 1 época.
  • Títulos no Sporting: Nada a assinalar.


O Mirko Jozic foi um treinador que passou pelo Sporting no seu último ano de jejum, não indo além de um 4º lugar no Campeonato. Contudo, esse foi um ano em que talvez mais do que nunca o Sporting foi completamente roubado pelas arbitragens…arbitragens incríveis que se sucediam jogo após jogo e que levaram ao luto pela verdade desportiva. Apesar disso, o Sporting com uma equipa bastante jovem foi preparado para o título da época seguinte, por este homem, que conseguiu pôr a equipa a jogar o melhor futebol que já vi o Sporting jogar desde que me lembre, muito à frente da propalada era Peseiro, sendo traído pelas arbitragens e excessiva juventude e inexperiência da equipa

Jogou até aos 20 anos no Hajduk Split, passando depois para o Osijek onde aproveitou a proximidade da universidade para estudar Educação Física. Esse curso valeu-lhe trabalho logo a seguir à sua retirada do futebol por lesão. Foi trabalhar para o Junak onde conseguiu ascender esta modesta equipa à 2ª Divisão Jugoslava.
Em 1972, iniciou o seu trabalho nas camadas jovens das selecções jugoslavas, o que durou até 1988, ou seja, 16 anos à frente dos destinos do futebol jovem jugoslavo. Nesse tempo, ganha destaque a vitória no Mundial de sub-18 em 1987 com jogadores como Suker, Prosinecki e Boban. Ficou com o coração no Chile e para lá voltou quando rebentou a guerra jugoslava. Esteve uns tempos nas camadas jovens do Colo Colo, passando à equipa principal. Aí, foi logo campeão da Libertadores em 1991.
Voltou a ser campeão antes de sair para a selecção chilena em 1993. Aí fica até 1995, conseguindo alguns bons resultados a princípio, mas depois decepciona.

Tem uma pequena experiência no América do México para depois regressar à Croácia para treinar o Hajduk Split, onde fica uma época antes de rumar ao Al-Hilal da Arábia Saudita. Depois, em 1998 vai para o Newell’s na Argentina onde é contratado por Roquette para treinar o Sporting. Forma uma equipa de jogadores muito jovens e inicia a época com um empate em Setúbal a 1 bola, com o golo do Sporting a ser apontado por Bino aos 53m. Nesse dia, o Sporting alinhou com: Tiago; Saber, Beto, Marco Aurélio e Vinicius; Edmilson (Kmet, 76m), Bino, Delfim, Duscher e Rui Jorge (Quiroga, 65m); Ramírez (Iordanov, 52m).
Tem um bom início de campeonato, pese embora a eliminação na Taça frente ao Gil Vicente e na UEFA frente ao Bolonha e começa a ver arbitragens incríveis a prejudicar o Sporting. Logo à 3ª jornada, o Sporting empata 2-2 com a Académica e vê um golo limpo a ser espoliado a Edmilson, com um fora de jogo inexistente. O árbitro era António Costa e o auxiliar cego Luís Vilhena. Na 7ª jornada, empate em casa com o Beira-Mar com arbitragem terrível de Mário Mendes que até expulsa Ivkovic do banco de suplentes. Os resultados continuavam periclitantes e as arbitragens cada vez pior, até que em Chaves, Jorge Coroado ignora 3 penalties claros, dizendo que estava com azia no dia seguinte, o que faz despoletar a ira leonina. É nessa altura que Leandro e Marco Aurélio saem e entra Acosta e o Sporting faz o luto pela verdade desportiva com um enterro antes do jogo com a Académica e a utilização de faixas e meias pretas. O Sporting vence esse jogo por 5-0 com mais uma fantástica exibição, principalmente de Edmilson que esteve nos 5 golos. O Sporting alinhou com: Tiago; Saber, Marcos, Beto e Vinicius; Delfim (Santamaría, 70m), Vidigal (Duscher, 52m) e Rui Jorge; Simão, Acosta (Krpan, 77m) e Edmilson. Os golos foram marcados por Beto aos 22m, Edmilson aos 28m, Simão aos 58m e Acosta aos 62m e 67m.
Contudo, na jornada seguinte, arbitragem vergonhosa de Isidoro Rodrigues em Campomaior volta a fazer com que o Sporting perca pontos. O último jogo de Jozic no Sporting foi contra o Benfica, mas com Ivkovic no banco, com o resultado a ser 3-3. Os golos foram marcados por Iordanov aos 5m e 38m e Rui Jorge aos 75m e o Sporting alinhou com: Nélson; Saber, Marcos, Beto e Rui Jorge; Pedro Barbosa, Delfim (Krpan, 88m), Duscher e Simão; Iordanov (Vidigal, 63m) e Acosta (Nuno Valente, 80m). Saiu do Sporting mas deixou uma equipa para ser campeã.

Em cima, da esquerda para a direita: Marco Aurélio, Tiago, Beto, Saber, Duscher e Pedro Barbosa.
Em baixo, pela mesma ordem: Edmilson, Rui Jorge, Bino, Leandro e Delfim.

Depois do Sporting foi para os sub-21 croatas, sendo apontado para seleccionar principal, depois do fracasso do Euro 2000. Apurou a equipa com distinção, mas fracassou no Mundial ao não passar da fase de grupos depois de vencer a Itália, mas perder com Equador e México.


Actualmente é director desportivo e responsável pelas camadas jovens do Dínamo Zagreb.

Carreira como treinador

1970/71: Junak

1971/72: Junak

1972 a 1988: Jugoslávia (Camadas Jovens)

1988: Colo Colo (Juvenis)

1990/91: Colo Colo

1991/92: Colo Colo

1992/93: Colo Colo

1994/95: Chile

1995/96: América México
Hajduk Split

1996/97: Al-Hilal

1998: Newell's

1998/99: Sporting

1999/00: Croácia Sub-21

2000 a 2002: Croácia

2006: Dinamo Zagreb

Carreira no Sporting

1998/99: 4º lugar

Avaliação: Craque

3 comentários:

Bruno Venâncio disse...

Apesar dos resultados pouco conseguidos, foi um treinador que implementou a aposta nos jovens, o que, como dizes muito bem, veio a dar frutos logo no ano seguinte. O futebol praticado era atractivo e só os resultados não o acompanharam. Acabou por ser craque.

Anónimo disse...

muitas saudades deixou este treinador, também nao esquecendo do antonio morais....

Anónimo disse...

Jogámos futebol como nunca mais voltei a ver....