quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Nº17: Leandro Machado Nascimento

  • Leandro Machado Nascimento.
  • Avançado.
  • Nasceu a 22 de Março de 1976 em Santo Amaro da Imperatriz (Brasil).
  • Títulos no Sporting: Nada a assinalar.
  • 4 Internacionalizações pelo Brasil com 1 golo marcado.

Leandro Machado foi um ponta de lança que esteve no Sporting durante uma época e meia, marcando uma quantidade apreciável de golos, tendo em conta o rendimento ofensivo da altura em que vestiu o manto verde e branco. Alternava grandes golos (recordo-me de um pontapé de bicicleta espectacular, em Alvalade, salvo erro frente ao Estrela da Amadora) e exibições com saídas à noite e alguns processos derivados disso mesmo. Depois de ter sido emprestado a meio da época 1998/99, por divergências com a equipa técnica leonina, foi vendido no final da época. Ainda voltou a Portugal, sem sucesso e retirou-se há pouco tempo devido a uma epidemia de lesões de que foi vítima.

O jovem Leandro começou a sua carreira no Internacional, vencendo dois estaduais do Rio Grande do Sul e sendo convocado para a selecção brasileira que venceu o Torneio de Toulon em 1995. Em 1996, novo título: o torneio pré-olímpico, contudo não é convocado para a selecção olímpica brasileira que acabaria o torneio em 3º lugar depois de golear Portugal por 5-0 no jogo de 3º e 4º lugar.
Logo em 1996, e apenas com 20 anos, transfere-se para o Valência. Antes disso, garantiu 4 internacionalizações pelo Brasil, chegando a ser convocado para a Gold Cup, perdida na final para o México. A sua primeira internacionalização data de 12 de Janeiro de 1996, nessa competição, frente ao Canadá e foi coroada com um golo. A equipa que alinhou foi a seguinte: Dida; Zé Maria, Narciso, Carlinhos Paulista e André Luiz; Amaral, Flávio Conceição, Arílson e Jamelli; Caio e Sávio (Leandro Machado, 75m). O Brasil venceu por 4-1, com golos marcados por André Luiz aos 3m, Caio aos 7m, Sávio aos 14m e Leandro Machado aos 86m. Para o Canadá marcou Radzinski aos 66m.
Prosseguindo, foi para o Valência jogar ao lado de Romário, na equipa que ficou pelo 10º lugar na Liga Espanhola, jogando 16 jogos e marcando 7 golos. Já nessa altura começou a ficar patente o seu gosto pela noite e pelas aventuras antes de treinos e jogos, o que travou alguma progressão.

No Verão de 1997, o Sporting de José Roquette e Norton de Matos preparava com afinco a participação na Liga dos Campeões, uma época que acabou por ser completamente desastrosa. Leandro foi o eleito para fazer companhia a Paulo Alves e Iordanov no ataque leonino e a sua contratação ficou fechada a troco de 1 milhão de contos. A sua estreia em jogos oficiais pelo Sporting ocorreu a 13 de Agosto de 1997, na 1ª Mão da 2ª Pré-Eliminatória da Liga dos Campeões. O Sporting empatou a 0 com o Beitar de Jerusalém, em Israel e a equipa foi a seguinte: De Wilde; Saber, Beto, Marco Aurélio e Pedrosa; Hadji, Lang, Carlos Miguel (Vidigal, 62m), Oceano e Pedro Barbosa (Ramírez, 74m); Leandro Machado (Iordanov, 62m). Em jogos do Campeonato estreou-se, na 1ª jornada, no sempre difícil Estádio de S. Luís em Faro, no empate a 0 com o Farense, no dia 23 de Agosto de 1997. Nesse dia, o Sporting alinhou com: De Wilde; Saber (Quim Berto, 78m), Beto, Marco Aurélio e Pedrosa (Paulo Alves, 72m); Hadji, Lang, Oceano e Pedro Barbosa (Bruno Giménez, 56m); Leandro Machado e Iordanov.
O seu primeiro golo com a camisola leonina foi a 27 de Agosto na recepção e vitória por 3-0 contra o Beitar, aos 55m. Bisou aos 69m depois de Iordanov ter aberto o marcador. No Campeonato estreou-se a marcar 4 dias depois na vitória por 2-0 frente ao Desportivo de Chaves. Abriu o marcador aos 6m e Iordanov fechou a contagem aos 9m. Ao todo jogou 38 jogos nessa época (27 no Campeonato, 8 na Champions e 3 na Taça) e marcou 16 golos (10 no Campeonato, 2 na Taça e 4 na Champions), sendo opção indiscutível dos 4 técnicos do Sporting nessa época: Octávio Machado, Francisco Vital, Vicente Cantatore e Carlos Manuel.

Equipa do Sporting em 1998/99.
Em cima, da esquerda para a direita: Marco Aurélio, Tiago, Beto, Saber, Duscher e Pedro Barbosa.
Em baixo, pela mesma ordem: Edmilson, Rui Jorge, Bino, Leandro Machado e Delfim.


A época de 1998/99 vinha com um novo técnico, Mirko Jozic, e um novo projecto de aposta nos jovens, no qual Leandro se incluía devido aos seus 22 anos. Estreou-se no Campeonato desse ano, com um golo, no dia 28 de Agosto de 1998, na vitória caseira por 2-1 frente ao Desportivo de Chaves. A equipa dessa noite foi a seguinte: Tiago; Beto, Quiroga, Marco Aurélio e Saber; Simão (Iordanov, 58m), Bino, Delfim e Rui Jorge (Vinicius, 72m); Edmilson e Leandro Machado (Bruno Giménez, 81m). Os golos foram marcados por Leandro aos 23m e por Iordanov aos 60m. Eram bons tempos e foi 3 jornadas depois que, salvo erro, vi Leandro a apontar um dos melhores golos que já vi. Na vitória por 3-0 frente ao Estrela da Amadora em Alvalade, aos 83m Leandro arranca um espectacular pontapé de bicicleta para fazer o ultimo golo da noite, levando um amarelo por causa dos festejos. Um mês depois faz o seu último jogo pelo Sporting antes das divergências com a equipa técnica que motivaram a sua saída por empréstimo para o Tenerife. Em Janeiro, novo empréstimo para o Flamengo (que viria a comprar o seu passe) onde ficou 2 épocas jogando em 58 jogos com um total de 22 golos marcados e alguns títulos: Taça Guanabara, Taça do Rio, Copa Mercosur e 2 Campeonatos Cariocas. Em 2001, passagem relâmpago pelo Grémio para regressar ao Flamengo e em época e meia marcar 17 golos em 50 jogos, conquistando mais um Carioca.

Em 2002, vai para o Dínamo Kiev onde permanece meia época, disputando 5 jogos e marcando 2 golos, conquistando o Campeonato. No mercado de Inverno de 2002/03, vem para o Santa Clara, jogando muito pouco (esteve sempre lesionado, jogou um jogo, marcou um golo e foi expulso), não evitando a descida da equipa açoriana à Liga de Honra. Em 2004, conhece 2 clubes: o Querétaro do México, onde marca 1 golo em 13 jogos e o Santos com o qual conquista o Brasileirão de 2004. No ano seguinte ruma ao Olímpia do Paraguai para voltar a fazer malas rumo à Coreia do Sul, para jogar no Ulsan Hyundai. Jogou 40 jogos e marcou 11 golos nos 2 anos em que lá esteve, sempre acompanhado pelas lesões e pelas saídas nocturnas e conquistou o Campeonato em 2005.
Na época de 2008 regressa ao Brasil para jogar no Sport Recife, onde conquista o Campeonato Pernambucano e a Taça do Brasil. Contudo, jogou pouco devido a uma epidemia de lesões pelo que se retirou a meio deste ano.

Carreira

1994/95: Internacional

1995/96: Internacional

1996/97: Valencia

1997/98: Sporting

1998/99: Sporting
Tenerife
Flamengo

2000: Flamengo

2001: Grémio
Flamengo

2002/03: Dinamo Kiev
Santa Clara

2004: Querétaro
Santos

2005/06: Olimpia
Ulsan Hyundai

2006/07: Ulsan Hyundai

2008: Sport Recife

Carreira no Sporting*

1997/98: 27 10 / 3 2 / 8 4

1998/99: 8 2 / - - / 2 1
(até Novembro)

*Época: Campeonato (J; G)/ Taça (J;G)/ Europa (J;G)


Avaliação: Craque

5 comentários:

Anónimo disse...

Sem dúvida craque!Tinha tudo para ter sido um grande avançado!
Parabéns pelo blogge.

AsKaViR disse...

Esse era mesmo craque, até era mal empregado no Sporting dessa época...

House disse...

Sem dúvida, era craque, Gostava bastante dele.

Bruno V. disse...

No Sporting foi mesmo um grande craque. Excelente avançado, e ainda muito jovem na altura. Podia ter tido uma carreira muito melhor. Perdeu-se no feitio incompatível para um profissional de futebol.

Anónimo disse...

tava aqui a rever...

este jovem ainda chegou a jogar no Santa Clara mas já sem qualquer impacto.