quinta-feira, 30 de abril de 2009

Nº32: Luís Filipe Pereira Vasco


  • Luís Filipe Pereira Vasco.
  • Guarda-redes.
  • Nasceu a 29 de Dezembro de 1966 na Nazaré.
  • Títulos no Sporting: 1 Taça de Portugal (1994/95) e 1 Supertaça de Portugal (1995/96).

O Luís Vasco foi um guarda-redes que passou pelo Sporting em meados dos anos 90 para ser apenas um suplente ou mesmo terceiro guarda-redes. Contratado ao Famalicão, apenas jogou um total de 5 jogos em 2 épocas, mas denotou um enorme profissionalismo. Depois voltou a passar por clubes de menor dimensão até acabar a carreira.



Natural da Nazaré, iniciou a sua carreira nos Nazarenos, o clube da terra que andava pela 3ª Divisão Nacional. Em 1988/89 foi para o Caldas, onde ficou 2 épocas, jogando no Alcobaça em 1990/91, até que chegou ao Famalicão, para substituir Figueiredo.
Logo na primeira época, fez 32 jogos no bom 14º lugar da equipa o que garantiu a manutenção ao conjunto de Vila Nova de Famalicão, sendo que a equipa acabou com um total de 40 golos sofridos. Na época seguinte, fez 21 jogos, com a equipa a repetir a classificação da época transacta. Em 1993/94, o Famalicão desceu de divisão e Luís Vasco fez 23 jogos com a camisola famalicense.



Supertaça 1995/96, 1ª Mão
Em pé, da esquerda para a direita: Marco Aurélio, Luís Vasco, Oceano, Naybet, Vujacic e Amunike.Em baixo, pela mesma ordem: Cadete, Sá Pinto, Nelson, Pedro Martins e Assis.

Em 1994/95, estando em final de contrato, foi contratado pelo Sporting para ser terceiro guarda-redes. Nessa época não chegou a jogar pelo que podemos avançar até à época seguinte, a de 1995/96, a única em que jogou de verde e branco em jogos oficiais.
A sua estreia oficial ocorreu na 1ª Mão da Supertaça, disputada em Alvalade frente ao FC Porto, num jogo que acabou empatado 0-0. O Sporting iria acabar por vencer a Supertaça. A equipa que alinhou nesse dia foi a seguinte: Luís Vasco; Nelson, Naybet, Marco Aurélio e Vujacic; Sá Pinto, Pedro Martins, Oceano (Pedro Barbosa, 57m), Assis e Amunike; Cadete (Ouattara, 66m). O jogo ficaria marcado pelo grande número de cartões distribuídos pelo árbitro Lourenço Ferreira, sendo que o Sporting viu os seus jogadores serem admoestados 8 vezes, com Pedro Martins a ser expulso perto do final.
Carlos Queiroz voltou a dar-lhe a titularidade na 2ª jornada do Campeonato, no empate 0-0 em Alvalade frente ao Boavista. Sob arbitragem de Carlos Calheiros, o Sporting alinhou com: Luís Vasco; Nelson, Naybet, Marco Aurélio e Vujacic; Pedro Barbosa (Chiquinho Conde, 61m), Pedro Martins, Afonso Martins e Dominguez; Ouattara e Paulo Alves (Cadete, 59m).
Jogou nos 2 jogos seguintes, sofrendo 2 golos nas vitórias frente a Braga (3-1) e Campomaiorense (7-1). O seu último jogo foi no empate (1-1) em Santo Tirso, com golo de Naybet aos 90m. Nesse final de tarde, o Sporting alinhou com: Luís Vasco; Nelson, Naybet, Marco Aurélio e Nuno Valente; Pedro Barbosa, Oceano (Dominguez, 60m), Afonso Martins (Pedro Martins, 86m) e Amunike; Sá Pinto e Paulo Alves. No total disputou 5 jogos pelo Sporting, sofrendo 3 golos.




No final da época, com a chegada de De Wilde, Luís Vasco saiu do Sporting rumo ao Desportivo de Chaves. Aí ajudou a equipa a classificar-se no 10º lugar, jogando em 31 partidas. Na época seguinte, jogou em 27 jogos, mas o Chaves acabou por descer de divisão.
Não se manteve no clube e rumou então à Amadora onde ficaria até final da carreira. Logo na primeira época, fez 7 jogos no excelente 8º lugar da equipa da Reboleira sob o comando de Jorge Jesus, não conseguindo jogar mais em virtude da presença de Hilário.
Em 1999/00, o Estrela repetiu o 8º lugar e Luís Vasco apenas jogou em 6 jogos, mercê da titularidade do ex-colega Tiago, emprestado pelo Sporting.
Em 2000/01, Tiago manteve a titularidade, mas perdeu-a para Luís Vasco a 11 jornadas do fim. A equipa ficou em último lugar do Campeonato, mas Luís Vasco fez exibições muito boas, fazendo o seu último jogo ao mais alto nível na derrota em casa frente ao FC Porto por 3-2, na última jornada do Campeonato.
Na pré-época seguinte, partiu a perna num jogo treino e atravessou um calvário que durou até 2002, data em que ia regressar aos jogos. Aí verificou-se que a operação não tinha corrido bem e Luís Vasco acabou a carreira, com muita tristeza à mistura.




Carreira

1985/86: Nazarenos

1986/87: Nazarenos

1987/88: Nazarenos

1988/89: Caldas

1989/90: Caldas

1990/91: Alcobaça

1991/92: Famalicão

1992/93: Famalicão

1993/94: Famalicão

1994/95: Sporting

1995/96: Sporting

1996/97: Desportivo Chaves

1997/98: Desportivo Chaves

1998/99: Estrela Amadora

1999/00: Estrela Amadora

2000/01: Estrela Amadora

Carreira no Sporting*

1994/95: -;- / -;- / -;-

1995/96: 4;-3 / -;- / -;-

*Época: Campeonato (J; G)/ Taça (J;G)/ Europa (J;G)

Avaliação: Flop

4 comentários:

Bruno V. disse...

Acaba por não ser um flop dos maiores devido a nunca terem recaído sobre ele grandes responsabilidades. Nunca se esperou que fosse titular da equipa, e o seu trajecto acabou por ser o normal de um guarda-redes de média dimensão. Ter estado 2 épocas no Sporting foi o ponto alto da carreira, mesmo quase sem jogar.

sloct disse...

Com a devida vénia, faço minhas as palavras do Bruno V.

M. Paim disse...

No pouco que jogou, cumpriu. Considerei flop, mas um flop muito pequenino nada ao nível de Missé-Missé, Gil Baiano e companhia limitada. Digamos que o considerei flop, assim como o Fabri foi considerado craque...ali no limiar :)

sloct disse...

Absolutamente de acordo, M.Paim. Flop sim, mas muito relativo.