quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Nº4: Didier Lang



  • Didier Lang.
  • Médio Centro.
  • Nasceu a 15 de Dezembro de 1970 em Metz (França).
  • Títulos no Sporting: Nada a assinalar.

Na história recente do Sporting, não deve ter havido época mais conturbada do que a de 1997/98: 4º lugar no Campeonato, eliminação na Fase de Grupos da Liga dos Campeões, eliminação nos quartos de final da Taça de Portugal (3-1 em Braga), quatro treinadores (três deles até ao Natal), processos disciplinares, dispensas, rescisões e uma imensidão de flops na equipa principal. Se dum lado houve Leandro, Oceano ou Simão, do outro houve Carlos Miguel, Gimenez, Ivo Damas, Ramírez, Assis, Renato, Leão e, claro, Didier Lang. Didier Lang, um francês, que jogava a médio centro, especialista em livres e cantos e que até nem era mau acabou por se tornar um rotundo flop, devido ao seu fraco jogo corrido e aos seus problemas disciplinares.

Nasceu em Metz, na França e cedo entrou para as camadas jovens do clube da cidade, o FC Metz. Com sucesso chegou à equipa principal em 1989 e assumiu-se como titular absoluto em 1992, acabando a época de 1992/93 com 29 jogos realizados e 1 golo marcado. Na época seguinte, Didi já era um dos esteios do meio campo do Metz, marcando 1 golo em 31 jogos, rendimento melhorado com os 3 golos da época que se seguiu.

Chegamos à época de 1996/97 em que na 2ª Eliminatória da Taça UEFA o Metz defronta e elimina o Sporting. Um dos principais culpados foi o loirinho Didier Lang. Na 1ª Mão, em Metz, vitória por 2-0 dos locais com golos aos 5m de Traoré após um canto cobrado por Lang e aos 80m pelo próprio Lang, de livre directo. Na 2ª Mão, em Lisboa, vitória do Sporting por 2-1 (golos de Sá Pinto a responder ao tento inaugural de Arpinon), sendo que Lang foi dos melhores em campo, ajudando a engolir o meio campo leonino. O Sporting era eliminado aos pés de um Metz em que despontavam, para além de Didi, Letizi, Song, Strasser e Robert Pires. Nessa época, Lang marcou 4 golos, a sua melhor marca.




Vídeo do Metz 2-0 Sporting.

Equipa do Metz em 1996/97. Lang é o primeiro, a contar da direita, na fila de baixo. Destaque também para Letizi (em cima à esquerda) e Pires (segundo, a contar da direita, na fila de cima)

No defeso de 1997, Norton de Matos não descansou enquanto não trouxe Didier Lang para o Sporting, para o ataque à Liga dos Campeões. Enfim, conseguiu-o a custo 0, mas com a pressão de orquestrar o meio campo leonino como o fazia em França. Lang nem começou mal. A 12 de Julho de 1997, na sua estreia pelo Sporting, marcou 2 golos no amigável contra o Celoricense, na vitória por 7-0 (3 golos de Paulo Alves e 1 de Afonso Martins e Oceano a juntar aos 2 de Didi). A época começou e na 1ª jornada da Liga dos Campeões, a 17 de Setembro, Alvalade teve uma noite de sonho com a vitória por 3-0 frente ao Mónaco de Barthez, Costinha, Ikpeba, Benarbia, Trezeguet e Henry, com exibição memorável de Lang, que fez as assistências de livre para os primeiros dois golos de Oceano e Hadji. No dia 5 de Outubro, Lang estreava-se a marcar no Campeonato, ao fazer de livre o golo da vitória do Sporting frente ao Salgueiros, em Alvalade (2-1, com o outro golo a ser marcado por Leandro em resposta ao golo de Nandinho).

Contudo, o Sporting dessa época com Octávio Machado ao leme jogava demasiado à defesa (o que, aliás, foi dito pelo vice-presidente leonino, Menezes Rodrigues), com jogo suportado por três trincos (Oceano, Lang e Pedro Martins), portanto foi sem surpresa que as coisas começaram a correr mal. Após levar um banho de bola do Leverkusen, em Alvalade (0-2), Octávio viu a sua posição fragilizada e o empate da semana seguinte em casa com o Varzim (1-1) foi a gota de água para os adeptos que tiraram os lenços brancos dos bolsos. Na véspera da viagem para a Alemanha, Octávio batia com a porta e o adjunto Francisco Vital ficou a comandar a equipa. Lang começou a jogar pior, ainda assim marcando 1 golo para a Taça frente ao Varzim a 15 de Novembro (3-0, após prolongamento). Pouco tempo depois, chegava Vicente Cantatore ao Sporting para aguentar apenas 26 dias no cargo (2 vitórias e 1 derrota). Foi aqui que Lang começou a ter problemas. Exprimiu a sua insatisfação por não jogar, juntamente com Afonso Martins e foi imediatamente afastado do plantel com direito a processo disciplinar. Em Janeiro, chegou Carlos Manuel para treinar o Sporting e reintegrou Lang. Lang fez mais 5 jogos, sendo que o seu último foi a 13 de Fevereiro de 1998, frente ao Boavista (0-1). Devido a mais problemas disciplinares foi afastado da equipa por Carlos Manuel ficando a treinar à parte até ao fim da época, sendo posteriormente dispensado numa enorme limpeza de balneário.

Plantel do Sporting para a época de 1997/98. Lang está na fila do meio e é o quinto a contar da direita.

Regressou a França para representar o Sochaux, fazendo 24 jogos. Na época seguinte, foi emprestado ao Troyes onde realizou 31 jogos e marcou 1 golo. A época 2000/01 marca o seu regresso ao Metz onde apenas participa num jogo, sendo dispensado para o Le Mans na época seguinte. Fez 15 jogos. A época de 2002/03 foi a sua última no futebol.


Carreira

1989/90: Metz

1990/91: Metz

1991/92: Metz

1992/93: Metz

1993/94: Metz

1994/95: Metz

1995/96: Metz

1996/97: Metz

1997/98: Sporting

1998/99: Sochaux

1999/00: Troyes

2000/01: Metz

2001/02: Le Mans

2002/03: Le Mans

Carreira no Sporting*

1997/98: 15 1 / 2 1 / 7 -

*Época: Campeonato (J; G)/ Taça (J;G)/ Europa (J;G)


Avaliação: Flop

2 comentários:

sloct disse...

Não há dúvidas que foi um flop, mas também nessa época quem é que não o foi? Eu até não desgostava deste jogador, e bem que se podia ter dado outra oportunidade.
Mas contratações de Norton de Matos são sempre de estranhar, isso também é verdade, há sempre "qualquer coisa" nas contratações que este senhor faz.

Bruno V. disse...

Foi um grande flop, mas tinha qualidade. Sendo médio centro, mais defensivo, chegou a jogar a lateral direito. Não deixou saudades, mas era exímio na marcação de bolas paradas. O problema eram as corridas...