quarta-feira, 15 de outubro de 2008

1º Treinador: Malcolm Alexander Allison




  • Malcolm Alexander Allison.
  • Nasceu a 5 de Setembro de 1927 em Dartford (Inglaterra).
  • No Sporting durante: 1 época.
  • Títulos no Sporting: 1 Campeonato Nacional (1981/82) e 1 Taça de Portugal (1981/82).

Malcolm Allison, ou Big Mal como era conhecido em Inglaterra, foi um famoso treinador inglês que treinou o Sporting durante uma época, conseguindo dois feitos memoráveis, após ganhar o Campeonato Nacional e a Taça de Portugal. Memoráveis, porque foi o último título nacional ganho pelo Sporting antes da grande seca de 18 anos e porque foi a última dobradinha até à época de 2001/02. Big Mal, que era conhecido pelo seu futebol vistoso e atacante em que o que importava era “sempre marcar mais um golo do que o adversário” e pelos seus inseparáveis chapéu e charuto, ainda chegou a treinar em Portugal no final dos anos 80, vivendo ainda num lar de idosos em Manchester. Foi também ele o autor da famosa frase “Não és um treinador a sério se nunca foste despedido”.




Big Mal teve uma carreira futebolística relativamente curta, pois deixou de jogar quando tinha apenas 30 anos. Era um médio centro promissor que esteve sete épocas no Charlton onde mal jogou, para depois se mudar, em 1951, para o clube onde acabou a carreira: o West Ham. Aí jogou até 1957, disputando 238 jogos oficiais, marcando 10 golos. Foi nessa altura que teve o seu primeiro contacto com o mundo do treino, sob o comando de Ted Fenton, chegando a dirigir alguns treinos e tornando-se um mentor para o então jovem Bobby Charlton. No dia 16 de Setembro de 1957, Allison sentiu-se mal no intervalo de um jogo frente ao Sheffield United e descobriu-se que tinha tuberculose, tendo que sofrer uma intervenção cirúrgica aos pulmões. Foi praticamente o fim da carreira de jogador de Allison.
Em 1964, inicia-se nos bancos ao treinar o Plymouth Argyle, passando a ser na época seguinte o adjunto de Joe Mercer no Manchester City. Formam uma dupla de sucesso e levam a equipa a vencer o Campeonato de 1967/68, a FA Cup de 1969 a Taça da Liga e a Taça das Taças de 1970. Em 1972, Joe Mercer ruma ao Coventry e Allison fica a treinar o Manchester City levando a equipa ao 11º lugar do Campeonato.
Na época seguinte, ruma ao Crystal Palace para despromover a equipa até à terceira divisão. Reformula a equipa e consegue o feito inédito de levar uma equipa da terceira divisão às meias-finais da Taça.
Em 1976/77, aceita o desafio de treinar o Galatasaray, ficando apenas essa época na Turquia, regressando a Inglaterra, para na época de 1978/79 treinar novamente o Plymouth Argyle. Na época seguinte regressa ao Manchester City para levar a equipa ao 15º lugar do Campeonato, repetindo a experiência no Crystal Palace na temporada seguinte, com nova descida de divisão.




Chegamos a 1981, em que Malcolm Allison é apresentado no Sporting por João Rocha com um punhado de excelentes reforços: os guarda-redes Meszaros e Melo e os médios António Oliveira, Nogueira e Virgílio. Nessa época iria apostar com enorme sucesso nos jovens Carlos Xavier e Mário Jorge. O Campeonato começa com um empate a 2 em Alvalade frente ao Belenenses, mas com uma excelente exibição a augurar uma boa época. O onze desse jogo foi o seguinte: Meszaros; Carlos Xavier, Eurico Gomes, Zézinho e Augusto Inácio; Ademar Marques, António Oliveira, Virgílio e Carlos Freire; Manuel Fernandes e Rui Jordão. Os 2 golos do Sporting seriam marcados por Rui Jordão aos 42m e 87m.
Logo, o Sporting conseguiu 5 vitórias consecutivas, sob o comando de Allison apoiado na famosa tripla de ataque Oliveira/Jordão/Manuel Fernandes, empatando novamente na 7ª jornada. Aliás, o Sporting esteve 21 jogos sem perder no Campeonato caindo apenas frente ao Boavista já na 22ª jornada. Nota curiosa nesse período para 2 encontros da Taça UEFA. O primeiro, em Alvalade, na vitória frente aos luxemburgueses do Red Boys, por 4-0 em que o Sporting dominou o jogo todo pecando apenas na finalização. No final do jogo, perguntaram a Allison porque é que o Sporting tinha mostrado fragilidade defensiva (?) ao que este respondeu com 3 simples perguntas: “A defesa jogou mal? Que teve para defender? O Red Boys atacou?” Ninguém mais o incomodou com tal questão. O segundo jogo em destaque foi a primeira vitória de uma equipa portuguesa em Inglaterra, a contar para as provas da UEFA. Foi frente ao Southampton de Kevin Keegan por 4-2, com Oliveira a realizar magnífica exibição. Os golos do Sporting foram marcados por Jordão, Holmes na própria baliza e Manuel Fernandes (2), sendo que os golos do Southampton foram marcados por Keegan e Channon.
O Sporting ganharia o título na 33ª jornada ao receber e vencer o Rio Ave por 7-1, numa tarde magnífica de Rui Jordão que apontaria 5 golos, cabendo a Manuel Fernandes marcar os outros 2. Nessa tarde de festa, o Sporting alinharia com: Meszaros; Barão, Eurico Gomes, Vitorino Bastos e Mário Jorge; Ademar Marques, Virgílio, Marinho e Lito; Manuel Fernandes e Rui Jordão. No final da época o Sporting foi campeão com 2 pontos de vantagem sobre o Benfica ao contabilizar 19 vitórias, 8 empates, 3 derrotas, 66 golos marcados e apenas 26 golos sofridos, num total de 46 pontos.
Na Taça de Portugal, o Sporting chegaria à final após eliminar o Loures (3-0), Oliveira do Bairro (2-1), Boavista (3-2), Belenenses (1-0), Penafiel (3-0) e Ginásio de Alcobaça (2-1). Na final, frente ao Sporting de Braga, Allison viu o seu estilo de chapéu e charuto ofuscado por Quinito, treinador do Braga, que apareceu de smoking! No campo, o Sporting venceria por 4-0 conquistando a dobradinha. A equipa que jogou foi a seguinte: Meszaros; Ademar Marques, Vitorino Bastos, Zézinho e Augusto Inácio; Marinho (Nogueira, 56m), Virgílio (Paulo Meneses, 79m), Oliveira e Lito; Manuel Fernandes e Rui Jordão. Os golos foram marcados por Oliveira aos 37m e 86m, Manuel Fernandes aos 67m e Rui Jordão aos 71m. De facto, como foi dito, grande parte do sucesso do Sporting deveu-se à tripla atacante Oliveira/Jordão/Manuel Fernandes, que apontou um total de 77 golos em 99! Jordão à sua conta marcou 34, Manuel Fernandes 21 e Oliveira 22.




Na pré-época de 1982/83, João Rocha comete talvez o maior erro da sua gestão ao despedir Allison durante o estágio na Bulgária. Diz-se que Allison como bom amante do sexo oposto que era terá introduzido algumas prostitutas no hotel da equipa, para si e para os jogadores. Quando se soube, João Rocha suspendeu o treinador que se retirou para Portugal onde iniciou uma vida de “copos e miúdas”. Foi despedido à conta disso.
Big Mal regressa às divisões inferiores inglesas para treinar o Middlesbrough por 2 épocas, viajando depois até ao Kuwait para treinar a selecção durante 1 ano.
Na época de 1987/88 regressa a Portugal para treinar o Vitória de Setúbal, classificando a equipa sadina no 8º lugar do Campeonato, aproveitando para lançar o carismático Hélio. Na época seguinte, vai treinar o Farense, mas não se dá bem e sai com a equipa na zona de despromoção entregando o comando técnico ao jogador Paco Fortes.
Só volta a treinar na época de 1992/93, no Bristol Rovers, encerrando a sua carreira no ano de 1993.




Carreira como treinador principal

1964/65: Plymouth Argyle

1972/73: Manchester City

1973/74: Crystal Palace

1974/75: Crystal Palace

1975/76: Crystal Palace

1976/77: Galatasaray

1978/79: Plymouth Argyle

1979/80: Manchester City

1980/81: Crystal Palace

1981/82: Sporting

1982/83: Middlesbrough

1983/84: Middlesbrough

1985/86: Selecção do Kuwait

1987/88: V. Setúbal

1988: Farense

1992/93: Bristol Rovers

Carreira no Sporting

1981/82: 1º lugar

Avaliação: Craque


4 comentários:

Rui Moço disse...

1 campeonato pelo Sporting, só pode ser craque.
Embora não me lembre dele a treinar o Sporting.

The Dark Rider disse...

Boas M. Paim.

Como sempre um excelente artigo. Só fiquei com 1 dúvida. o "Lito" que incluis em algumas equipas, não é o Litos?

Continua com o excelente trabalho!

M. Paim disse...

Em primeiro lugar, obrigado pelos elogios, são sempre bons
Em resposta à pergunta, não, o Litos só se estreou pelo Sporting em 1984.
Qualquer dúvida ou correcção sou sempre receptivo. Um abraço e espero que continues a ler

Bruno V. disse...

Excelente trabalho que fez no Sporting. Craque.