quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Nº9: Mustapha Hadji


  • Mustapha Hadji.
  • Médio centro / Extremo direito.
  • Nasceu a 16 de Novembro de 1971 em Ifrane (Marrocos).
  • Títulos no Sporting: Nada a assinalar.
  • 54 Internacionalizações por Marrocos com 13 golos marcados.

Hadji foi um talentoso médio marroquino, que também jogava a extremo direito, que passou pelo Sporting durante uma época e meia deixando saudades à massa associativa. Actuava com raça, preferencialmente a nº10 já que o lugar de extremo direito estava reservado a Pedro Barbosa (aliás o seu número de camisola era mesmo o 10) e fez uma primeira época de grande nível, sendo que a meio da segunda época rescindiu por problemas com a direcção e com o ordenado que recebia. Daí passou por Espanha e Inglaterra antes de se aventurar noutras paragens, sendo que ainda joga no Luxemburgo. Hadji, que tem um irmão chamado Youssof que joga em França e já é uma estrela da selecção marroquina, chegou a ser eleito o futebolista africano do ano, em 1998.



Mustapha Hadji nasceu em Marrocos há 36 anos e desde logo soube que o que queria era jogar futebol. Muito novo emigrou com a família para França, primeiro para Saint-Etienne, depois para Monceau e finalmente para Creutzwald. Foi aqui que começou a jogar e o primeiro contrato que assinou foi com o Nancy (curioso verificar que o seu irmão joga, actualmente, neste clube) em 1991. Fez 5 épocas de grande nível, realizando 124 jogos e marcando 31 golos e chegando em 1993 à selecção de Marrocos, depois de se ter recusado a alinhar pela França. Foi ao Mundial de 1994, jogando nos 3 jogos disputados pela sua selecção.
Surgiu no final da época o interesse do Sporting para o qual se transferiu em 1996, sob o comando de Robert Waseige (que sairia a meio da época para dar lugar a Octávio Machado), juntamente com as seguintes contratações: De Wilde, Missé-Missé, Gil Baiano e Balajic.
Estreou-se logo no primeiro jogo da pré-temporada, frente ao Dudelange, na vitória do Sporting por 4-0, com golos de Ouattara aos 22m, Toni aos 71m, Pedrosa aos 78m e auto-golo de Aires aos 84m. A equipa que jogou nesse primeiro jogo foi a seguinte: Tiago (Luís Vasco); Torrão, Marco Aurélio (Marco Almeida), Iordanov e Pedrosa; Carlos Xavier (Nuno Valente), Luís Miguel (Pedro Martins), Filipe Ramos (Toni) e Hadji; Missé-Missé e Ouattara (Artur Jorge Vicente). Muitos destes jogadores sairiam antes de começar o campeonato. Na pré-temporada actuou regularmente, marcando aos Lusitanos de Saint-Maur e ao Vasco da Gama.
Estreou-se no Campeonato Nacional, logo na 1º jornada, na difícil vitória por 3-1 em casa do Sporting de Espinho, marcando um golo aos 57m, sendo os outros marcados por Pedrosa aos 24m e Vidigal aos 39m.

Plantel de 1996/97.
Hadji, iria marcar o seu primeiro golo com a camisola do Sporting, nas competições europeias, no dia 10 de Setembro de 1996, em Montpellier no jogo contra a equipa local que terminaria 1-1. O golo de Hadji foi o do empate aos 62m. Até ao final da época marcou mais 2 golos no Campeonato: na vitória em Alvalade frente ao Leça por 1-0 aos 37m e na vitória, em Paranhos, por 3-0 frente ao Salgueiros, aos 21m, sendo os outros golos marcados por Vidigal aos 36m e Simão Sabrosa aos 79m. Marcaria ainda mais 2 golos, na Taça de Portugal, nos quartos de final, frente ao Maia por 3-0, aos 30m, a juntar aos golos de Iordanov aos 15m e Vidigal aos 84m e nas meias finais, na derrota por 3-2 no Bessa, marcando aos 67m, depois do golo de Iordanov aos 55m. Nessa época seriam 36 jogos e 6 golos no total de todas as competições.


Na época seguinte, o Sporting regressava à Liga dos Campeões, sob o comando de Octávio Machado, mas o que era para ser uma época de sonho tornou-se uma época de pesadelo, com 4 treinadores, processos disciplinares, rescisões, jogadores afastados da equipa e no final da época uma limpeza de balneário. Hadji começou a pré-época a todo o gás, marcando golos nos amigáveis com Lourinhanense, PSG e Académica. O Campeonato começou a 23 de Agosto de 1997, com o Sporting a ir empatar a zero ao S. Luís, em Faro, com o Farense e Hadji a ser dos melhores numa exibição pálida da equipa leonina. O onze desse jogo foi o seguinte: De Wilde; Saber (Quim Berto, 78m), Beto, Marco Aurélio e Pedrosa (Paulo Alves, 72m); Hadji, Oceano, Lang e Pedro Barbosa (Bruno Giménez, 56m); Iordanov e Leandro Machado.
O jogador marroquino realizaria 9 jogos no Campeonato sem marcar golos. Na Taça de Portugal não jogaria e seria na Liga dos Campeões que iria brilhar, ao disputar 7 jogos concretizando 2 golos, falhando apenas o jogo da última jornada da fase de grupos contra o Lierse (2-1) em Dezembro, já com Vicente Cantatore ao comando, o terceiro (!!!) treinador da época. Os seus golos seriam marcados frente ao Mónaco, na 1ª jornada da Fase de Grupos, em Alvalade, na vitória por 3-0, num jogo com uns primeiros 15 minutos de loucura (Oceano aos 4m, Hadji aos 8m e Leandro aos 65m) e na derrota por 4-1 em Leverkusen, com Hadji a apontar o golo do empate aos 44m.
Nos finais de Novembro, Hadji manifestou à direcção do Sporting o desejo de ver o seu ordenado aumentado, por achar que o que ganhava devia ser equiparado ao que outros ganhavam, sem jogar o que ele jogava. Perante a intransigência dos dirigentes leoninos, Hadji accionou uma cláusula do seu contrato que permitia a sua saída caso aparecesse um clube interessado. Esse clube foi o Deportivo da Corunha e assim Hadji partiu no mercado de Inverno, magoado com os dirigentes, mas com o Sporting no coração.
No Deportivo fez o resto da época de 1998, a alto nível, chegando a vencer o prémio de futebolista africano do ano e sendo convocado para a selecção de Marrocos que marcou presença no Mundial desse ano. Marrocos disputou 3 jogos, contabilizando uma vitória, um empate e uma derrota, com 5 golos marcados e 5 sofridos. Hadji alinhou nos 3 jogos, marcando 1 golo no empate (2-2) com a Noruega.


Regressou com uma lesão ao Deportivo e foi praticamente descartado por Irureta, que parece que deixou de confiar no jogador. Sairia no final da época, contabilizando em época e meia 31 jogos e 2 golos. Em 1999, rumaria ao Coventry de Gordon Strachan, para ser figura de proa juntamente com Chippo e ajudar o clube a garantir a permanência na Premier League, no 14º lugar.
Na época seguinte, Hadji continuaria a ser figura principal dum Coventry que desceu de divisão ao classificar-se em 19º lugar.


Não seria esquecido por clubes da Premier League e transferiu-se para o Aston Villa, depois de ter disputado 62 jogos e marcado 12 golos com a camisola do Coventry. Ficou em Birmingham durante duas épocas e meia, onde seria pouco utilizado, conseguindo apenas um total de 35 jogos e 2 golos. Nessas três épocas, o Aston Villa iria classificar-se em 8º lugar na época de 2001/02, 16º em 2002/03 e 5º em 2003/04. No mercado de Inverno de 2004, saiu rumo ao Espanhol onde permaneceria apenas até Junho do mesmo ano, disputando 16 jogos e marcando 1 golo, ajudando a equipa, numa época atribulada em que terminou no 16º lugar da Liga Espanhola.


Rumou aos Emirados Árabes Unidos, para o Al Ain e em 2005 regressou à Europa, para disputar 2 épocas na 2ª Divisão Alemã ao serviço do Saarbrucken, onde realizou 54 jogos, marcando 10 golos. Em 2007, foi para o Luxemburgo jogar no seu actual clube, o CS Fola Esch, que disputa a Divisão de Honra daquele país, ajudando com 25 jogos e 17 golos a equipa a classificar-se no 3º lugar falhando, contudo, a subida de divisão.
Na selecção marroquina, da qual se retirou em 2004 após uma má Taça das Nações Africanas, disputou um total de 54 jogos marcando 13 golos.


Carreira

1991/92: Nancy

1992/93: Nancy

1993/94: Nancy

1994/95: Nancy

1995/96: Nancy

1996/97: Sporting

1997/98: Sporting
Deportivo

1998/99: Deportivo

1999/00: Coventry

2000/01: Coventry

2001/02: Aston Villa

2002/03: Aston Villa

2003/04: Aston Villa
Espanhol

2004/05: Al Ain

2005/06: Saarbrucken

2006/07: Saarbrucken

2007/08: CS Fola Esch

Carreira no Sporting*

1996/97: 27 3 / 5 2 / 4 1

1997 (até Dezembro): 9 - / - - / 7 2

*Época: Campeonato (J; G)/ Taça (J;G)/ Europa (J;G)

Avaliação: Craque

5 comentários:

Anónimo disse...

este Hadji era um senhor, tenho saudades de um jogador assim no Sporting

Rui Moço disse...

Bom jogador, marroquino com muita qualidade, pena não ter ficado mais tempo no Sporting

Raimas disse...

Estou plenamente em desacordo. Nunca gostei do hadji. Tinha talento, mas nunca o aproveitou ao máximo. Era o tipo jogador calão que me irrita.

Parabéns pelo blog

Anónimo disse...

Mau, muito mau. Deviamos estar gratos ao Corunha. Foi o melhor negócio da história do Sporting.

Bruno V. disse...

Na minha opinião, um excelente jogador que passou pelo Sporting. Gostei muito de o ver jogar, e mesmo no Mundial 98 mostrou as suas qualidades. É estranho como o resto da sua carreira não esteve de acordo com a qualidade que mostrou no Sporting. O melhor do Sporting no tempo em que lá esteve.